Review: Real – Até onde vai sua força de vontade ?

Do mesmo criador de Slam Dunk e Vagabond. Takehiko Inue pra mim é como um Deus dos mangás, o cara desenha muito e as histórias que ele conta são sempre mais profundas do que parece.

A história gira em torno de três adolescentes: Nomiya Tomomi, que abandonou a escola, Togawa Kiyoharu, um ex-velocista, que agora joga basquete de cadeira de rodas e Takahashi Hisanobu, um líder popular da equipe de basquete da escola, que agora encontra-se paraplégico após um acidente.

Antes que alguém diga que é só mais uma história de basquete e todo drama do jogo. Fico feliz em dizer que não é, o foco principal não é o basquete mas sim a cadeiras de rodas e as dificuldades que essas pessoas enfrentam na sociedade, entre os próprios amigos e afins.Claro que o basquete está presente em todo mangá,mesmo não sendo o foco real da drama.

O que torna Real tão especial assim ? A profundidade que Takehiko Inoue criou em seus personagens e suas respectivas dificuldades e superações.Não nos fazendo ficar com pena dos cadeirantes ou achar os caras os mais fodas(se bem que você acaba achando isso lendo o mangá).O ponto principal é a realidade da história e da aceitação de cada um para a sua dificuldade, seja ela não poder andar nunca mais ou perder uma perna, deixar uma pessoa  paraplégica e buscar constantemente um sentido para sua vida.

Real é puramente uma historia de superação e força de vontade que acaba unindo três jovens com uma amor em comum: O basquete.

Comentários gerais: Uma das coisas que mais gosto em todo mangá é em como é notável o crescimento de cada personagem e como ele mostra a história de cada um deles, o porquê deles serem como são o que eles buscam e como eles mudaram seguindo um passo de cada vez.
A história mais massante na minha opinião e a mais importante de todo mangá em questões pós acidente é a história do Takahashi Hisanobu onde até então era perfeito o melhor em tudo e de repente encontra-se perdido buscando um sentido pra viver e quando realmente se percebe que mesmo antes de tudo,já não existia sentindo algum ? O que dizer de Togawa Kiyoharu que sonhava em ser o mais rápido do Japão e se vê sem uma de suas pernas e vê todo seu sonho desmoronar, qual sentido ele deve arrumar para continuar seguindo em frente? Nomiya Tomomi um encrenqueiro que acidentalmente deixou uma menina paraplégica,não tinha rumo nenhum na vida,vê em pessoas especiais com condições piores que a sua,fazendo tudo aquilo que ele não tinha coragem de fazer.

Quanto ao desenho não sei como,mais a cada volume que se passa o desenho só melhora os personagens só crescem, a história flue de forma leve,apesar de todo drama pesado.Ao mesmo tempo em que você se coloca no lugar dos personagens e consegue sentir suas  emoções,angústias,desesperos e vitórias.

Para todos aqueles que acham mangás de esporte chato leiam Real e mudem suas concepções o modo de ver as coisas e a vida, recomendo a todos vale muito a pena ler. A obra ainda está em publicação,no momento com 10 volumes.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Mangás, Review

5 Respostas para “Review: Real – Até onde vai sua força de vontade ?

  1. Ótimo texto. Concordo plenamente com o que foi dito e acredito que a coisa que mais aprecio em Real, é exatamente esse aspecto do Inoue conseguir fazer a gente verdadeiramente contemplar e projetar as dificuldades dos personagens em nossa próprias realidades.
    A linha que separa “dó” e “simpatia/compreensão” é muito fina, principalmente nesse caso, mas o Inoue lida perfeitamente com ela.

    Talvez só no caso do Togawa que há um grande empurre (talvez propositalmente) para que tenhamos pena do Togawa, mas no caso mais importante que é o do Takahashi a coisa é bem mais balanceada.

    Real é certamente um dos meus mangás favoritos de todos os tempos.

  2. Ótimo post. Real é daqueles mangás que eu estou enrolando há décadas para ler, mas logo vai chegar a vez dele. Confesso que, ultimamente, os outros mangás do Inoue têm me deixado mais tentado. Mas ele é quase que nem o Usamaru Furuya: todos os mangás dele sobre os quais eu meramente ouvi falar, me despertam a atenção. Mesmo assim, a vontade de ler Real é grande, e só aumentou depois desse post. HAHAHA

  3. Lucas Waroshi

    Ótimo texto, parabéns. Inoue é o meu mangaká favorito e Slam Dunk é meu mangá favorito também, li Real apenas por ser o “novo mangá de basquete do criador de Slam Dunk” e me surpreendi tanto. Nem sei o porquê de não ter lido tudo ainda, mas, do pouco que eu li, pude perceber a profundidade e a sensibilidade dos personagens de Inoue. Temas como esperança, culpa, desejos, dificuldades, tratados da melhar forma possível, são mostrados através das páginas dessa obra, o que faz com que ela seja uma leitura “obrigatória” pra quem gosta de mangás mais profundos.
    Real com certeza é um dos mangás que mais me emocionou, mesmo eu tendo lido pouco. Acabo de decidir que vou deixar Hoshi no Samidare na espera e vou ler Real.

    • Que bom que gostou de Real, acho que é também um dos meus preferidos estranhamente quando me perguntam que mangá recomendaria, ele nunca vem em mente ou se vem nunca digo, pelo simples fato de que eu acho que ele não é um mangá “para todos os gostos e pessoas”.
      Saiu o volume 11 recentimente (: Leia mesmo !

Comentem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s